Irmã Dulce é canonizada pelo papa e se torna a primeira santa brasileira

Religiosa baiana (1914-1992) teve dois milagres reconhecidos e passa a ser chamada de Santa Dulce dos Pobres

Neste domingo (13) na Praça de São Pedro, no vaticano, onde a praça estava lotada de fiéis, para acompanhar a cerimônia de canonização celebrada pelo Papa Francisco, iniciou com a música oficial da canonização cantada pela cantora baiana Margareth Menezes, o padre Antonio Maria e o sanfoneiro cearense Waldonys.

Santa Dulce dos Pobres. É assim que Irmã Dulce passa a ser chamada após a cerimônia, sendo a primeira santa brasileira. A santa, conhecida popularmente como Anjo Bom da Bahia, foi uma das religiosas mais populares do Brasil graças ao trabalho social prestado aos mais pobres e necessitados, principalmente na Bahia.

Além da Irmã Dulce, foram canonizados:

  • O teólogo e cardeal inglês John Henry Newmann, um dos principais intelectuais cristãos do século 19;
  • A religiosa italiana Giuseppina Vannini;
  • A religiosa indiana Mariam Thresia Chiramel Mankidiyan;
  • A catequista suíça Margherita Bays.

A cerimônia foi acompanhada por autoridades brasileiras como o vice-presidente, Hamilton Mourão; o governador da Bahia, Rui Costa; o prefeito de Salvador, ACM Neto; e os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, e o dep. André Fufuca também fez parte da comitiva.

Leia outras notícias em nativanet.com.br. Curta, também, a nossa página no Facebook.

Comentários